sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Como crianças

Corremos, não porque estávamos com pressa, não para pegarmos o ônibus, não porque íamos a algum lugar, corremos como crianças, só porque nos deu uma vontade súbita de correr. Enquanto corríamos, ele segurava minha mão_ me senti tão segura e feliz_ não parávamos de rir. As pessoas nos olhavam, e para ser bem franca, eu queria mesmo que olhassem que vissem o quão feliz eu estava.
Senti uma liberdade e uma felicidade que não se explica.
Corri para lugar nenhum sem motivo algum.
Invejaram nossa felicidade, nossa leveza, nossa liberdade.
Parecíamos duas crianças descobrindo a vida.
Estávamos felizes só porque corremos. E correr com ele me transmite uma paz inigualável.
Esse episódio lembrou-me o verão desse ano. Molhamos-nos com a chuva por quatro dias seguidos, fechei meu guarda-chuva de baixo de um temporal e deixei me molhar. Quando a chuva parou pulávamos nas poças como crianças, só que dessa vez sem culpa, sem medo. A sensação de correr foi quase a mesma de pular nas poças. Mais uma vez, ele ao meu lado, me fazendo feliz.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Um poema que não é meu

Hoje o sol resolveu não sair
Minha vontade era continuar a dormir
Porém o relógio me despertou
E em um toque a cidade acordou

Não é porque o sol não nasceu que eu não vou acordar
Não é porque o tempo parou que eu vou parar
Não porque a lua não apareceu que eu não vou sonhar
Não é porque você me deixou que eu vou deixar de te amar

E assim tive que acordar
Para viver um novo dia
Sem o sol, sem você sem a melodia
E o tempo chuvoso parece me acompanhar

Quero voltar a ter um lugar
Onde seja possível avistar
O sol namorando o luar
E você seja capaz de me amar

Não é porque o tempo passa que eu amadureço
Não é porque não luto que tenho medo
Não é porque te amo que nunca te esquecerei
Não porque está chovendo que irei me molhar


Por Iuri Siqueira

sábado, 14 de agosto de 2010

Por Gabriel Garcia para mim... ♥

"menina complicada
muda de humor facilmente
tenta esconder o que sente
diz sempre que esta tudo bem
mesmo que não esteja
tenta não me magoar com seus sentimentos
não me contando
ainda não entendeu
que é isso que magoa
menina boba,
linda
e muito complicada
você pode achar impossível
mas eu te amo assim
do seu jeito.
é difícil, quase impossível
te entender
mais ainda assim eu tento
quem sabe assim eu possa te fazer feliz
quem sabe assim
mesmo com raiva,
triste
ou magoada
você possa dizer que me ama
sem eu precisar pedir
ou qualquer coisa assim
eu te amo

Gabriel Garcia Mello

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Amar é perder

Aqui onde o tempo se mostra eterno
Meu coração bate de vagar
Com o receio de perder-te

Aqui onde meus pensamentos pertencem a ti
Quase não consigo respirar
Pois o medo de perder-te me sufoca

Aqui onde tenho que sorrir
Escondo lágrimas pesadas

Aqui onde já tenho dúvidas sobre o amor
O medo de perder-te
Desespera meu ser

Aqui onde a dor e o medo tomaram conta
Bate um coração
Que esconde ser negro

Aqui onde o meu ser só existe em você.

Por J.Fernandes para G. Garcia

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Conto de fadas contemporâneo.

Era uma vez uma moça feia, gorda e pobre, que não tinha condições de ter um bom estudo.
Gezebel Greyci, acreditava que um dia um homem lindo, cheiroso, educado, rico, fiel e completamente apaixonado chegaria em um cavalo branco premiado e a levaria para morar com ele em um esplendido castelo, que ele a tornaria rainha, eles teriam filhos, ela seria uma boa mãe e jamais precisaria trabalhar, comeria bem, beberia bem, vestiria roupas caríssimas, faria plásticas, lipoaspiração e alisamento definitivo.
Gezebel Greyci sentava-se na frente do barraco de duas peças que morava e esperava o príncipe chegar...
Esperou... Esperou... Esperou...
Todo mundo que passava por ali a humilhava, ela era motivo de piada na comunidade em que morava, mas não importava o que as pessoas falassem, Gezebel Greyci acreditava que sua hora de brilhar chegaria.
Eis que após onze anos de longa espera, Gezebel Greyci no auge de seus vinte e sete anos ainda esperava pelo príncipe.
Fazia muito frio aquele dia, muito triste e decepcionada após tantos anos de espera, ela concluiu que seus métodos não estavam sendo bem sucedidos, então decide tentar o método da Bela Adormecida.
Ao se levantar ela avista um homem loiro, de pele muito clara, muito bem vestido indo a sua direção, o coração de Gezebel Greyci acelera, ela começa a suar, o moço parecia um anjo iluminado, ele para na frente dela, ela é tomada por um êxtase tão grande que não consegue ter nenhuma reação racional, seu único pensamento é: “Meu dia chegou!”.
O moço com cara de anjo cujo nome era Miguel, estende a mão para Gezebel e com uma voz calma e terna diz:
_ Te pago cinco reais para empurrar minha Mercedes que atolou na lama.
Gezebel Greyci levanta-se e ajuda o moço por cinco reais, depois que o carro é desatolado, ela fica imóvel vendo o carro partir até sumir no horizonte.
Alguns dias depois ela vira prostituta, passa a usar drogas, contrai AIDS e no ano seguinte falece por overdose.
Ela nunca foi amada como sonhou, não enriqueceu, não ficou bonita, não teve cabelo liso e não viveu feliz para sempre. Teve uma vida bem diferente das historias de princesa que escutava quando era criança.


Eis a vida como ela é.

FIM.